terça-feira, 19 de maio de 2015

Maldade de um Deus Perverso



Maldade de um Deus Perverso

É tanta coisa banal,
Viaturas e vitimas,
Vilanias e vergões
E algumas fraturas,

Dentro e fora,
Vagueando repartições,

O mundo tem se despedaçado,
E o povo parece em um profundo transe,
De que algo maior que elas,
Ira proteger, ira se manter durante o caos,

Nada é para sempre,
E de pessoas intransigentes.

Caos que já vivemos,
Alagados em problemas,
Na ganância, na violência,
Na intolerância e indiferença,

Não há duvidas para mim, que deus nada fará,
Pelo simples fato de não existir,

A força maior vem do topo,
E o sujeito é esmagado.
Mas muitos esperam na ilusão,
Da mão divina do estado.

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Desejos e A origem do Mundo...




Desejo: Ato I

Desejos silenciados pelas palavras,
De uma opressão massiva e social,
Querem ditar as regras,jogar as cartas e silenciar o gozo
Querem arrancar de mim tudo,
Querem implantar preconceito em forma de moral,
Querem oprimir e negar a sexualidade,
Que esta nos cantos, becos e outras ruas da cidade.
Das minorias, ou nos segredos da classe alta,
Congelando pessoas, matando a cri-ativismo do "conhe-ser"
apodrecendo corpos nesta vida única e cinza
Normativo sexual

A arte do gozo nos faz falta...





L'Origine du monde - Gustave Courbet

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Lua cheia gato preto

Lua cheia gato preto,
Tumba gelada,
Quarteto,
Noite escancarada,

Lua cheia gato preto,
Gente retalhada,
Livreto,
Alma calada,

Lua Cheia gato preto,
Saudade frustrada,
Soneto.
Poesia lamentada.
 
Retirada do Google Imagem
 
Full Moon Black Cat

Full Moon black cat,
Icy tomb,
Quartet
Gaping night

Full Moon black cat,
Shredded People,
booklet,
Silent soul,

Full Moon black cat,
Frustrated longing,
Sonnet.
Lamented poetry.
 
Saulo Mazagão