segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Poesia


Feminista


Bem devagar sorrateira,
Ela se joga para frente,
Sem culpa,sem medo de ser feliz.
Mas não é impulsiva,
Avança na velocidade certa,
De uma forma muito sutil,
Olhando pra mim, me seduz.
Ela tem atitude,e isso não atrapalha,
Fico tão sem reação,
Que o coração dispara,
O tempo parece parar,
Não sinto meu corpo,
Não sinto o corpo dela,
Sinto uma cumplicidade,
Sinto ambicionar-se de mim.
Seus lábios me atacam,
Nossas bocas se selam,
Em um único equalizar.

SRM

Poesia


(ainda sem nome)

Algo que há
Que reside em cada um,
Encobrindo meio aos sentidos,
Porém, atos, que nos denunciam,
Através do sorriso, 
Desejos ocultos,
Enterrado na fala,
Das expressões, 
Dos disparastes do coração,
Do nosso, 
E do outro.

SRM