sábado, 26 de novembro de 2011

Escrevendo...


Estou a testar o blog, e acho que nada mais sugestivo como esse poema, principalmente para quem escreve, faz rascunhos e tem o lápis como um fiel companheiro de trabalho.Escrito em 2008. Façam uma boa Leitura...



Lápis
  
Hoje já escrevo a lápis,
Um dia que foi caneta,
Vejo o traço que refiz,
A linda cauda do cometa,

***

Caneta é a certeza,
Lápis possibilidades ilimitáveis,
Caneta erra sem mesmo que perceba,
E o lápis por si, saem rascunhos notáveis,

***

O Grafite, negro que brilha,
Assim como a mente da criança,
Trilha, desenha e rabisca,
Faz do papel, uma dança,

***

Faz da noite seu berço,
Da natureza sua mãe,
Magia da criação, que nunca esqueço,
Proteção da alma de divina grandeza.

***

* imagem meramente ilustrativa, retirada do google. 
A poesia é obra do autor do blog.



2 comentários:

  1. foi mais fácil ser anonimo nesse exato momento.

    adorei o poema e depois volto para ser seguidora.

    quem sou eu ?
    aliás quem somos nós ? Bravo e sua corajosa dona.
    kkkkkkk
    oi Saulo, sou eu Regina,Remalls ou letrinhascombinadas.

    ResponderExcluir
  2. "O Grafite, negro que brilha,
    Assim como a mente da criança,
    Trilha, desenha e rabisca,
    Faz do papel, uma dança,"

    Espectáculo
    Adorei! Lindo!

    Parabéns
    Abraços
    An@

    ResponderExcluir